Social Icons

Pages

31 outubro 2013

A importância de aceitar-se



por Joyce Meyer - postado 31 de outubro de 2013
E isso [a salvação] não vem de vós [de seu próprio fazer, não veio através de seu próprio esforço], mas é um dom de Deus. Efésios 2:8
Em 1718, um menino chamado David Brainerd nasceu em Connecticut. David perdeu o pai pra morte quando tinha apenas oito anos de idade, e sua mãe morreu seis anos depois, quando tinha quatorze anos. David herdou uma grande propriedade, mas que não poderia compensar a ausência de amor e carinho dos pais, que são tão importantes para a sensação de segurança e felicidade de qualquer criança.

Brainerd tornou-se um conhecido missionário americano e um pregador poderoso, mas ele sentiu uma carga incomum de culpa, como se ele pudesse ter sido de alguma forma responsável pela morte de seus pais. Como resultado, ele trabalhou muito duro para tentar ganhar o amor e a aprovação de Deus. Biografias mostram que o Espírito Santo tentou convencer Brainerd de sua suficiência e que estava em Cristo, mas que a verdade nunca foi firmemente estabelecida em seu coração. Ele ganharia alguns insights sobre esta verdade, mas, em seguida, cairia de volta para uma mesma mentalidade.

As pessoas que têm escrito sobre Brainerd concordam que ele esgotou-se tentando agradar a Deus, porque ele sempre achou que tinha que agradar para ganhar o amor de Deus. Ele tentou agradar a Deus, tanto que ele usava o seu corpo e tornou-se demasiado doente para realizar o seu ministério ou até mesmo para orar. O jovem com tanta capacidade e potencial para fazer grandes coisas para Deus morreu de tuberculose aos 29 anos de idade.

A história de Brainerd detém uma dura lição para todos nós. Podemos amar a Deus e servi-Lo com toda a nossa força, mas nós também devemos receber Seu amor por nós. Devemos crer que Ele nos ama e nos aceita completamente e que não podemos fazer nada para ganhar o seu amor ou merecer sua graça. Como nosso versículo para hoje nos lembra, a nossa posição em Deus é tudo por causa do que Ele faz por nós, e não o que podemos fazer por Ele.

Ame a si mesmo: Não há nada que você possa fazer, que fará com que Deus ame ou aceite-o mais do que já faz, então, siga o seu exemplo: amar e aceitar a si mesmo.

Tradução livre do Blog Joyce Meyer. http://joycemeyer.org/Articles/Devotional.aspx

3 comentários:

  1. Oi Marcelo Paz, que bom e edificante o seu blog. Bom que
    continue postando. Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o seu blog, estive a percorre-lo li alguma coisa, porque espero voltar mais algumas vezes,deu para perceber a sua dedicação em partilhar o seu saber.
    Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante.
    E se gostar e desejar comente.
    Que Deus vos abençõe e guarde.
    Abraço.Peregrino E Servo.

    ResponderExcluir
  3. Aprendi muitoooooooooo hj com esse texto

    ResponderExcluir